quinta-feira, julho 01, 2010

Penapolense é um estado de espirito!

Para provar que ser penapolense não significa apenas ter nascido em Penápolis (aprazível cidade da região noroeste do Estado de São Paulo), penapolense é um estado de espírito, meu amigo, camarada, irmão, comunista, revolucionário e Mouro por opção, Marcos Tenório, chefe de gabinete do deputado paulista e petista Jilmar Tato, se transformou em penapolense!

Após conhecer a cidade,beber da água do Maria Chica, ver as belas mulheres de lá, conhecer seu povo culto e solidário, se apaixonou pela cidade. Isto também aconteceu há muitos anos com Geraldo Vandré, que no auge de sua fama passou algumas semanas na cidade (depois voltou várias vezes) e lá compôs “Disparada”. Com Luiz Rozemberg Filho, cineasta carioca que foi lá apresentar um filme seu e dar uma palestra e gamou. E Ronaldo Bôscoli, namorando Nara Leão, a deixou por alguns dias no Rio de Janeiro e foi para lá ensinar os fundamentos da Bossa Nova a vários jovens da cidade, nos quais eu me incluía.

Enfim, são tantas as figuras que foram a trabalho ou a passeio e se apaixonaram pela cidade, que fica difícil ficar citando. Mas foi lá, que nos anos 60 do século passado fundamos um Cine Clube, um dos únicos da região a durar quem sabe até hoje, criamos a “Feira do Livro” que vez ou outra acontece, onde havia uma célula comunista de jovens e senhores que se chamava “Organização de Base Operário/Estudantil/Camponesa”.

Ali resistimos à Ditadura nos seus primeiros anos e dali saíram revolucionários que criaram a Dissidência Comunista de São Paulo, depois ALN-Ação Libertadora Nacional sob o comando dos revolucionários Carlos Marighela e Joaquim da Câmara Toledo e outros foram para o PCdoB e outras organizações revolucionarias. Foi também uma das primeiras cidades do interior paulista a surgir o PPS e o PT que hoje administra a cidade com competência e glamour.

Glamour sim, porque a sabedoria dá glamour como deu a Marcos Tenório, Geraldo Vandré, Ronaldo Bôscoli e todos que lá viveram ou vivem. Só por curiosidade, a Sabrina Sato tão vista e falada é de lá. Seguido a tradição de beldades dos meus tempos como a Isabel, a “Belinha”, a Denise Pini, a Cristina e inesquecíveis meninas lindas da minha juventude. De lá saíram misses, professoras, poetas, médicos, como o Franz Rulli Costa um dos grandes sanitaristas do País, arquitetos, músicos como o inesquecível “Capim”, o Celso Laçava, geógrafos como o “Ninho”, o Floriano Pastore Filho, publicitários como Ruy Palhares e muita gente mais.

Enfim, Penápolis é o MAXIMO.

3 comentários:

Elias Alves disse...

Luiz Aparecido, sempre achei seu estilo semelhante ao de Rubem Braga, tal como neste texto. Claro, cada um tem estilo próprio, mas há semelhanças. Coincidências salutares, pois ressaltam a beleza de seu trabalho.

amaral disse...

Penápolis é realmente fantástica.Quem a conhece se apaixona.Tive uma namorada carioca,com quem terminei por motivo fútil. Pois ela arrumou outro namorado tambem de Penápolis, se casou e todos os anos viaja para lá com a família.

Beloved disse...

Favor corrigir o texto para Celso Lacava