domingo, julho 17, 2011

Alma danada/Coração partido


Acostumado as lutas e pelejas coletivas
Meu coração sangra quando travo querelas miúdas ou grandes
a nível pessoal.
Tratar os sentimentos com frieza e descompaixão como exigem estas guerras
Me diminuem mesmo quando ganho as batalhas.
Por isto choro silencioso e contido no fundo da alma.
O amor e a amizade não se apagam com atos de rompantes
Quanto mais se mexem nestas feridas, mais entristece minha alma
Se é que nestes momentos a tenho!
Amo de paixão quem participou da minha vida
Tanto em momentos curtos ou longos períodos de entrega absoluta.
Sofro também porque quem comigo convive sofre junto.
Ainda não consegui, sequer creio que deseje conseguir, ser frio e isento.
Luto com paixão em defesa de minhas crias, filhos,netos, mulheres, amigos, camaradas e causas justas.
Mas sou pequeno ao travar estas batalhas pessoais
Mais sangrentas que as batalhas medievais, do tempo das laminas cortantes
No embate homem a homem, olho no olho.
Mas o destino e a maldade de algumas “pessoas” as vezes nos obrigam a travar estas lutas.
E ai tenho que ser cruento e desalmado e isto, sinto que mata parte de minha alma!!!
Mas tenho que me recriar e sair inteiro destas desalmadas lutas!! E vou conseguir!!
Como Corisco, tenho que brilhar na escuridão para iluminar o caminho daqueles que me seguem!!!

3 comentários:

Agnei disse...

Parabéns, meu admirável mentor, colocando poesia onde outros mortais deixaram de chorar.

Anônimo disse...

Seu coração será sempre partido pq doas cada pedaço dele aos teus muitos amigos. Vc é tão gigante q na encarmação anterior, deve ter sido comandante da grande fortaleza de são josé no Amapa. abs,saudades!

Gabriela Salerno disse...

Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens.

Fernando Pessoa
Cabe para você também querido!
AMAMOS vc!