quinta-feira, outubro 20, 2011

UMA VISITA SENTIMENTAL AS TERRAS CAPIXABAS!!!



NO ESPIRITO SANTO, ATRAVESSEI E CURTI OS DOIS LADOS DA PONTE!!

Realizei nos ultimos dez dias uma viagem sentimental e porque não, politica também, pelo meu querido Espirito Santo. Encontrei o mesmo povo simpático e acolhedor e um Estado em plena efervecencia econômica e infelizmente politicamente apático, em função da perniciosa hegemonia politica exercida há mais de 10 anos pelo grupo do ex-governador Paulo Hartung e seus acólitos.

Mas a tendência neste campo é mudar, até porque os grupos(vide a família Mauro) e partidos escamoteados do poder central e satelizados, tendem a reagir por conta das eleições municipais do próximo ano. Todos querem visibilidade e espaço para crescer, inclusive o nosso glorioso PCdoB. Mas isto veremos com o desenrolar das articulações que já se iniciaram. Agora é trabalhar e dar tempo ao tempo.

Os amigos

Mas queria mesmo era ver os meus queridos e solidários amigos. Ví logo no primeiro dia, nosso camarada Nilo Walter e a Sandrinha Rangel, de Itapoã, em Vila Velha. Depois fui ver meu querido amigo e companheiro de velhas guerras vencidas e a vencer, Carlos Fernando e sua imbatível companheira Paula Leonardo(fotos abaixo), em Marataizes. Grande alegria em ver Carlos Fernando lutando bravamente para vencer as agruras de sua doença com ajuda da Paulinha e mais animado e com a cabeça a mil.
Carlos Fernando e Dino Graccio
Paulinha, companheira e guardiã de Carlos Fernando

Depois revi, após muitos anos, Walter Araujo, antigo companheiro de Partido, tocando com sucesso seus negócios e preocupado em articular mais espaço para atuação institucional do Partido no Estado. Tambem foi me ver no “Hotel Camburão” o inefável Dino Graccio,(na foto acima com Carlos Fernando) com sua sempre imbatível verve e se tornando cada vez mais um artista plástico de respeito e cheio de planos e sonhando com a volta do inesquecível jornal “Araponga”.

Sempre presente

Andou comigo e me protegeu nos dias que estive por lá, com sua lealdade de sempre, o Luiz Antonio, conhecido como “Abobrão”. Estive e troquei idéias e planos com o sempre amigo e camarada Gildo Ribeiro. Vi também Vanda Gasparini e o inefável Ronaldo Montalvão. Vi brevemente, mas com prazer, Marcos Monjardim, agora feliz porque vai ser papai novamente e sua bela esposa.

Fui ver a minha sogra, mãe da minha sempre querida companheira Polyana, dona Creusa, meu cunhado Wellisson e sua irmã Paula e ainda a promissora sobrinha Raniere, lá em Fundão, sempre “Fundão dos Indios”. Mas faltou tempo para estar com os camaradas Luiz Palauro e nosso camarada prefeito da cidade, o promissor Anderson.

Estive também com Radagasio, tio da Polyana e figura impar e simpática. Comemos juntos em sua casa no bairro da Glória em Vila Velha, um belo churrasco e degustamos um garrafa de uísque numa tarde agradabilíssima.

Minha memória ia me traindo e quase esqueço de citar figuras impares: Carlito Osório, o veterano comunista que após anos afastado, esta voltando ao seu lar, o PCdoB. Tivemos eu, ele e sua filha a fotógrafa Carla Osório e seu neto Igor, um lauto e agradavel almoço à beira da Praia. E outro, "ex" comunista, hoje, sei lá o que, mas ótima e civilizada pessoa, o academico Fernandão Herkenhof, a quem infelismente não deu tempo de ver pessoalmente e prosear sobre as coisas e as voltas que o Mundo da!

Conheci pessoalmente Fernando Claro e sua mulher Sandra, a quem nutria uma longa amizade apenas virtualmente e os adorei. Este Claro tem muito a iluminar este Espirito Santo cheio de guetos escuros, agora que pode exercer livremente sua profissão de advogado.

Fui a Santa Cruz na casa “santuário” ecológico, do Chico Martins, irmão dos amigos e camaradas Carlos Umberto e João Martins. Outro dia agradável! Um almoço simples e muita conversa, além de conhecer os avanços do Chico em seus trabalhos com cerâmica artística. E com o meu cineasta, artista plastico e amigo,Tião Fonseca. Sempre cheio de planos e batalhas a batalhar.

Fui a Barra do Jucu, terra da magia, do som dos tambores do Congo e das novas bandas regeeiras, para ver o grande jornalista, parte da história da imprensa capixaba, Pedro Maia, com quem almoçamos um belo peixe no “Marébaixa”. E não poderia deixar de lado, a visita ao apartamento acolhedor do Coronel Klinger Sobreira de Almeida, diretor do Grupo Aguia Branca, escritor e amigo de todas as horas. Momentos agradáveis ao lado de sua esposa Maria, poetisa e cantora das mais sensíveis.

Faltou ver muita gente

Enfim, foram dez dias de muita conversa, troca de afagos e matança de saudades. Só senti não ter podido estar com meu amigo, companheiro e “guru”, Ruy Ribeiro Crespo. Tinhamos tanto a falar e experiencias a trocar e saudades a resgatar, mas uma doença na família dele, impediu nosso encontro. Agora é arranjar um tempo para ir lá só para estar com ele e dividir e aproveitar sua abrangente e vital energia positiva.

Deixei de ver também meu velho amigo e companheiro Max Mauro, Joel Rangel, o grande Iran Caetano, sempre ocupado por seus plantões hospitalares, Antonio Gurgel, o Eugenio querido, Anderson Falcão, hoje ocupada autoridade municipal em Vila Velha, o artista Carlos Luz, o Zé Maria e o Tadeu Paiva, que morando agora em Piuma me dificultou ve-lo. O Antonio Carlos Lacerda, também não consegui encontrar.

Faltou ver ainda o combativo advogado e amigo solidário em todas as horas, Homero Mafra Junior, agora dirigindo audaciosamente a OAB/ES, os irmãos Chieppe. Nilton, Luiz Wagner, Aylmer,Renan, amigos de sempre e empreendedores de sucesso e muita gente mais.

Ouros amigos e companheiros aqui não citados, mas não esquecidos, vou tentar por todos os meios nos ver na minha próxima visita a esta abençoada e tão maltratada terra do Espirito Santo. Até breve a todos que vi e não vi!!!!

2 comentários:

Luiz Ap. disse...

Apá, amigo da Pavuna. Obrigado pela gentil citação do nome
do velho Dino Gracio no seu post. Foi ótimo rever você, resistente às
mazelas da saúde, rodando mundo a trabalhar e sempre
a valorizar as amizades.

Cpmentario de Dino Graccio que reproduzo aqui!!

CFLima disse...

Grande,Apá,em todos sentidos - coração/amizade/solidariedade/generosidade - também ficamos felizes por sua visita.Não da pra ficar reclamando. Vc também demonstrar isto com sua vontade de viver, superando as mazelas da natureza, q nos impõem males que não pedimos ou desejamos.Enquanto ela permitir vamos vivendo pra desafia-la, cientes que ainda é possível ir ao lado dos nossos sonhos. abs